Fale conosco pelo WhatsApp

Quem faz mamoplastia consegue amamentar?

Mulher deitada amamentando criança no colo

Quem faz mamoplastia consegue amamentar normalmente, graças às técnicas usadas atualmente.

Existem diversos procedimentos que podem ser realizados nas mamas para deixá-las com uma aparência mais harmoniosa. A mamoplastia é um deles, que é indicada tanto para casos de redução quanto para aumento das mamas.

Uma das principais dúvidas que as mulheres apresentam sobre o procedimento é se quem faz a mamoplastia consegue amamentar, nesse artigo vamos sanar todas as dúvidas e explicar quais são os casos e mais detalhes da mamoplastia. Confira!

Após a realização da mamoplastia é possível amamentar?

As mulheres apresentam muitas dúvidas em relação a esse procedimento, e a principal delas é se quem reduz a mama pode amamentar. Riscos de não amamentar após a mamoplastia existem, seja ela de aumento ou de redução. Além disso, é sempre bom lembrar que qualquer procedimento cirúrgico tem seus riscos.

Em qual dos casos quem faz mamoplastia consegue amamentar?

A possibilidade de a mulher conseguir amamentar depois de uma mamoplastia depende da cirurgia e das técnicas utilizadas, se conexões nervosas foram danificadas e da quantidade de tecido removido. Geralmente, o aleitamento materno é possível após as cirurgias de aumento das mamas.

A colocação das próteses de silicone não impede a amamentação. A técnica utilizada na cirurgia pode, no entanto, ter algum efeito sobre a produção ou escoamento do leite. O risco é menor porque os implantes aumentam o tamanho e o formato das mamas, mas não necessariamente impactam o sistema responsável pela produção e entrega do leite. Há casos em que após o procedimento cirúrgico os mamilos podem ficar com mais ou menos sensibilidade que o normal.

Mas e no caso de redução das mamas? Quem faz mamoplastia consegue amamentar também?

Na mamoplastia redutora é retirado todo excesso de pele e de tecido mamário existente, o que inevitavelmente diminui a quantidade de ductos mamários.

Nesse caso, a produção de leite após a redução é frequentemente inadequada para manter a amamentação exclusiva. As chances são maiores se o cirurgião preservou as terminações nervosas, os ductos mamários e os vasos sanguíneos da região.

Geralmente, o aleitamento é mais bem-sucedido se a técnica escolhida for a do pedículo, na qual a aréola e o mamilo permanecem presos à glândula mamária enquanto o tecido é removido. Caso os mamilos tenham sido removidos e depois recolocados nos seios reconstruídos, danos aos nervos (que estimulam a liberação dos hormônios necessários à produção de leite e sua descida), ductos e tecidos mamários poderão limitar o fluxo do leite e diminuir a sensibilidade na região dos mamilos.

Mas, enfim, é seguro que quem faz mamoplastia consegue amamentar?

Embora possa haver riscos, é cada vez mais comum que os cirurgiões procurem preservar o tecido glandular para que a amamentação não seja prejudicada. Geralmente, é bem provável que a mulher consiga amamentar após a mamoplastia, desde que os mamilos não tenham que ser muito reposicionados.

Caso a mulher encontre um pouco de dificuldade de amamentar, pode ser necessário complementar a alimentação do bebê por um pequeno período. A técnica da relactação, que estimula a produção de leite, pode ser uma boa opção, dado que o bebê não tem contato com mamadeiras e recebe o complemento diretamente pela sucção da mama.

Quando a mulher for consultar o seu médico sobre a possibilidade de realizar o procedimento, antes de ela perguntar ao cirurgião se quem faz mamoplastia consegue amamentar, é importante pedir ao especialista, informações detalhadas da cirurgia, o local de abordagem, o nome da técnica proposta, volumes a serem implantados ou retirados e as estruturas anatômicas que serão manipuladas. Além disso, é recomendável que a decisão de fazer uma cirurgia de redução de mamas considere a intenção futura de amamentar e que o cirurgião seja informado disso para que preserve o máximo de tecido glandular.